Foto: Reprodução

A higiene bucal das crianças é um assunto que preocupa muitos pais e sempre surge uma dúvida na hora de escolher a escova de dentes ideal para o filho. Nas prateleiras da das farmácias e dos supermercados é possível encontrar uma variedade enorme de marcas e tamanhos, mas qual a escova e o momento ideal para começar a cuidar da saúde da boca do seu filho?

A professora do curso de Odontologia da UNINASSAU Caruaru e mestre em Odontologia – área de concentração em Odontopediatria, Lady Travassos, explica, inicialmente, que a escovação deve ser realizada desde o aparecimento do primeiro dente na cavidade bucal. “No momento de aquisição da escova, os pais devem atentar para a faixa etária expressa na embalagem, observar a presença de cantos arredondados e cabo que facilite o manuseio pela criança”, destaca. A profissional ainda esclarece que as gazes e fraldas molhadas, assim como as dedeiras, servem para higienizar os tecidos moles (gengiva, bochecha e língua) da boca do bebê.

Travassos explica, ainda, que a criança deve usar fio dental a partir da presença de dois dentes um ao lado do outro. “Porque a escova de dentes, por mais eficiente que seja, não consegue remover os resíduos localizados entre os dentes. Os fios dentais com forquilhas são lúdicos e podem ser usados para incentivar o hábito”, explica.

Ainda com relação à higiene bucal dos “pequenos”, a professora e cirurgiã-dentista ressalta que é importante utilizar o creme dental fluoretado (com flúor) desde o primeiro dente. Ela afirma que os pais não precisam se sentir inseguros com a presença do flúor no creme dental quando a criança ainda não sabe cuspir, desde que estejam bem orientados por um odontopediatra com relação à quantidade de creme dental e a frequência de escovação que devem seguir. “O odontopediatra é o dentista indicado para cuidar da saúde bucal das crianças, durante a consulta este profissional terá a oportunidade de avaliar a criança de forma individualizada, observando os fatores de risco à cárie no qual a criança pode estar inserida”, destaca a professora.

A profissional ainda faz um alerta sobre os cuidados com relação ao uso de antibióticos, pois, segundo ela, muitos pais têm a ideia de que o antibiótico estraga os dentes. “Esses tipos de medicamento para crianças possuem maior quantidade de açúcar com o objetivo de tornar o medicamento mais aceitável pelas crianças, mas na maioria das vezes, os pais não realizam a higiene bucal da criança após administração do antibiótico. Assim, não é o medicamento que causa a cárie, mas os resíduos que ficam na boca devido à falta de higienização”, explica.

print