Gestões semelhantes: João e Hélio decretaram o fim do Jardim Cultural

Notícias

Em cinco anos, o festival só foi realizado uma vez. Abandono do evento se iniciou na gestão cassada e seguiu com o atual prefeito

Reprodução

A segunda principal festa popular de rua de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, o Jardim Cultural, foi totalmente esquecido e está prestes a sumir do calendário de eventos oficial do município. Em cinco anos, o Jardim Cultural só foi realizado uma vez, em 2017, e não agradou a população.

O abandono do festival se iniciou na gestão do ex-prefeito cassado e condenado, João Mendonça Jatobá (sem partido), em 2015, quando deixou pela primeira vez de realizar o evento. No ano seguinte, poucos meses antes de ser afastado da prefeitura, João repetiu o feito.

Após assumir a prefeitura em 2017, Hélio dos Terrenos (PTB) realizou o evento, porém sem respeitar a tradição do festival, que desde que foi criado, em 1999, ficou marcado pela diversificação de ritmos em suas edições. Já em 2018 e este ano, o Jardim Cultural foi totalmente esquecido, e se quer um pronunciamento oficial sobre a não realização da festa foi feito pela prefeitura.

Com a não realização do evento, a cidade perde com a vinda de turistas, o comércio, especialmente o setor de roupas e calçados deixa de vender e gerar empregos, e a economia fica estagnada, o que acarreta o desemprego.

Além disso, com o atraso de salário de servidores e sem data prevista para pagamento do 13° dos colaboradores, o final de ano em Belo Jardim não movimenta a economia local e a expectativa nas vendas em relação ao ano passado é negativa.

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *