(Fotos: Reprodução Facebook | Ascom PMBJ | Reprodução TV Asa Branca)

Quase um ano após ter tido o primeiro prefeito cassado da sua história, Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, infelizmente volta a ser palco de graves acontecimentos envolvendo a nova administração pública municipal. Desta vez, áudios vazados de escutas telefônicas revelam que a Prefeitura de Belo Jardim estaria sendo usada pelo prefeito Hélio dos Terrenos (PTB) e pelo seu grupo político, que é aliado do Grupo Galvão, como ‘cabide de empregos’ e até como ‘balcão de negócios’ entre Executivo e vereadores da base governista.

As gravações estão sendo divulgadas desde a última semana por um anônimo que tem usado redes sociais e aplicativos de mensagens para tornar público o suposto escândalo político, que ainda envolve diretamente a irmã do prefeito, Simone Santos. Nas gravações, ela que é a protagonista das conversas, aparece como uma espécie de ‘braço-direito’ de Hélio nas tomadas de decisões do Executivo Municipal com relação à contratação e demissão de servidores, prática que inclusive não está de acordo com a lei e por isso pode ser considerada crime de usurpação da função pública.

‘Cada secretaria é para tirar 10’

Nas conversas gravadas, a irmã do prefeito dialoga com uma interlocutora chamada por Simone apenas de “Franci”, que em alguns dos áudios chega a orientar a irmã de Hélio sobre questões legais da administração pública. Acredita-se que a interlocutora nos áudios seja a controladora interna do município, Franci Santos. Todo o diálogonas gravações sobre uma suposta determinação do prefeito Hélio para demitir servidores municipais para que esses cedam lugar para pessoas indicadas por vereadores da base do governo, isso tudo em troca de apoio ao prefeito na Câmara Municipal.

“Eu vou ver quantos [indicados] de vereadores ele [Hélio] tem pendência e quantos têm já dentro da prefeitura no geral… e ele [Hélio] autorizou mais [demissões]… Cada secretaria tira 10 [funcionários]”, afirma Simone em uma das gravações. Ouça abaixo:

‘Hélio valorizou alguém demais e alguém de menos’

Em outro trecho das conversas, Simone relata para a interlocutora que os salários de várias pessoas indicadas para o governo teriam tido valores estipulados não segundo critérios técnicos, de função e de formação profissional, mas sim a partir da vontade do prefeito.

“O próprio Hélio fez os acordos com o povo e botou ele [o povo] valorizado (sic)… Num é uma pessoa com uma função ‘X’ que é o certo, o correto e o digno e a Justiça permite ou quer que pague ‘X’… num é isso! É Hélio que valorizou alguém demais e alguém de menos”, disse Simone. Escute a seguir:

‘Eu digo Hélio, porcaria de vereador, que nojo!’

Durante a conversa, Simone detalha, além das promessas de campanha de Hélio de empregos na prefeitura, sobre os supostos acordos celebrados entre o prefeito e os vereadores da base governista. Ela inclusive chega a mencionar o nome do vereador Marcos Buchudo e ainda xinga a classe parlamentar do município.

“Eu nunca vi um prefeito prometer a 300 militantes emprego! Agora militante sem condição, sem qualificação, sem conhecimento… só se fosse tudo para varrer rua ou fazer limpeza nas escolas, e mesmo assim não tem espaço para tanta gente”, falou Simone, completando que o prefeito teria lhe dado severas ordens sobre o troca-troca de funcionários: “Você quer que eu tire você [Simone] e Vanderleia? Eu quero confiar que vocês estão fazendo [a substituição do pessoal]! Ajeite os [indicados] dos vereadores! Disse que [o vereador] Marcos Buchudo ligou dizendo que iria romper, que não dava certo… Eu digo Hélio, porcaria de vereador, que nojo!”, disparou a irmão do chefe do Executivo nas gravações.

Por várias vezes nos áudios, Simone reitera a suposta troca de empregos na prefeitura por apoio dos vereadores na Câmara. “Tô desesperada, hoje foi o dia… Hélio me pegou… ameaçou a gente [do grupo]… Não pode deixar o povo dos vereadores insatisfeitos, não pode deixar os vereadores insatiafeitos. Então até hoje, Franci, eu não sei… eu quero entender se prefeitura funciona assim: ou é dinheiro que o prefeito tem que pagar X na rede municipal, ou é contratos X?”, se indaga a irmã do prefeito. Confira nos áudios abaixo:

Veja também:
Irmã do prefeito causa polêmica ao mandar e desmandar na prefeitura de Belo Jardim
Irmã do prefeito de BJ recebia Bolsa Família mesmo tendo emprego fixo

O que diz a defesa de Hélio dos Terrenos

Nessa segunda-feira (12), em vídeo postado no Facebook, o advogado que representa o prefeito Hélio dos Terrenos, além do seu grupo e da sua família, João Prudêncio, afirmou que os áudios precisam ser esclarecidos perante à Justiça porque as escutas telefônicas do aparelho celular de Simone Santos foram feitas de forma ilegal, sem o aval da Justiça; e que as mesmas não comprometem a imagem do prefeito, pois em nenhum momento citam qualquer palavra do gestor ordenando que se cometa algum crime contra a administração pública.

Oposição critica a gestão municipal pelo suposto escândalo

Em texto publicado na noite dessa segunda, o integrante da bancada de oposição e atual presidente da Casa Custódio Ferreira Mergulhão, a Câmara de Belo Jardim, o vereador Gilvandro Estrela (PV), repudiou todo o suposto escândalo envolvendo a prefeitura do município. Veja abaixo a íntegra do texto:

Nota de repúdio do vereador Gilvandro Estrela

É lamentável que desde a semana passada os meios de comunicação e as redes sociais de nosso município não falem outra coisa a não ser dos supostos escândalos envolvendo a administração do Prefeito Hélio dos Terrenos e em especial alguns dos seus familiares.

No dia 02 de Julho de 2017 o eleitorado de Belo Jardim, de forma maciça, fez a opção pelo atual Prefeito a fim de que ele gerisse os destinos da terra do Bitury pelos próximos 04 anos.

Menos de 08 meses depois o que se percebe é denúncia em cima de denúncia, sem falar no Hospital quase fechado, a educação se arrastando, a insegurança crescendo, as praças sem vida e sem verde, o matadouro e o mercado de carne fechados, as ruas escuras e esburacadas, os servidores com salários atrasados, a máquina inchada de servidores (2.306 contratados, segundo a senhora Simone), ausência de concurso público, o nepotismo desenfreado, a cooptação de políticos de outros partidos, carro do Samu quebrado, a zona rural abandonada, obras federais paralisadas, dentre outras coisas do conhecimento de todos nós.

Por fim, vídeos e mais vídeos denegrindo a imagem Vereadores, Secretários, funcionários graduados e pessoas do bem e do mal.

O mais interessante é que existe também possível Usurpação da Função Pública, pois segundo se comenta tem gente na Prefeitura que manda e desmanda e lá não trabalha, o que é crime (Art. 328, caput do Código Penal): “Aquele que usurpa função pública está sujeito a uma pena de 3 (três) meses a 2 (dois) anos de detenção mais multa. Se tirar alguma vantagem, patrimonial ou moral, do crime, a pena pode subir de 2 (dois) a 5 (cinco) anos de reclusão, mais multa”.

Asseguro a todos que irei tomar todas as providências legais cabíveis para denunciar esses atos supostamente ilícitos.

Atenciosamente,

Gilvandro Estrela – Vereador e Presidente da Câmara Municipal.

print