Reportagem/BJ1

Já imaginou ter seu filho sofrendo com problemas dentários e não ter acesso ao tratamento oferecido pela rede de saúde do município? Essa é a situação de um comerciante pai de uma criança de 10 anos moradora do bairro da Cohab I, segundo ele a garota sofre com problemas nos dentes e espera por atendimento desde janeiro deste ano, quando ele procurou pela primeira vez a Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro.

“Eu fui no posto de saúde em janeiro levar minha filha para a consulta com a dentista, chegando lá a dentista atendeu ela na recepção, pois não tinha mais vaga. Ela foi simpática, atendeu bem, olhou a boca da minha filha e disse que era caso de urgência, falou também que o postinho abriria vaga para novas pessoas serem atendidas. Na data marcado, dormi na fila, embaixo de chuva e frio, e quando consegui marcar a ficha dela, só que até agora, estamos no mês de junho e ela não foi chamada para esse atendimento”.

O pai da criança conta ainda que está desempregado e não tem condições de pagar o tratamento. “A situação da minha filha é um caso sério, eu já procurei o Centro de Especialidades Odontológicas, mas eles alegam que como na Cohab I tem um postinho e tem dentista lá, não pode ser feito o atendimento dela no CEO, tem que ser feito no posto da Cohab”, relatou.

“A dentista poderia encaminhar, só que ela não encaminha, fica nesse jogo, não tem jeito, eu não sei o que fazer, porque eu já fui na Cohab I e não tem vaga, ai eu vou pro CEO não pode, ou seja, minha filha sofrendo, até pro mastigado dela é complicado e eu não sei o que fazer”, disse.

O homem não quis se identificar para preservar a filha e com receio de perseguição política, já que parentes trabalham na Prefeitura Municipal.

O BJ1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Belo Jardim e da Secretaria de Saúde, mas até o fechamento da matéria não recebeu resposta.

print