Bobby Fabisak/ JC Imagem

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) divulgou, nesta sexta-feira (29), um levantamento sobre o destino do lixo nos municípios de Pernambuco. O resultado é que de 184 cidades pernambucanas, 105 não depositam os resíduos em aterros sanitários. Os dados foram coletados durante inspeções feitas pelos fiscais do TCE no período de janeiro a dezembro de 2018. Também foram usadas informações dadas pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) relativas ao ano de 2017.

Pedro Teixeira, auditor do TCE, explica que o número de municípios que depositam lixo nos aterros sanitários, de forma irregular, cresceu. O estudo revelou que, na Região Metropolitana do Recife, Ipojuca deposita o lixo em um aterro controlado, que ainda não é o manejo considerado ideal. Já Camaragibe ainda usa um lixão a céu aberto.

Segundo o levantamento, além de Camaragibe, a cidade de Afogados da Ingazeira, no Sertão de Pernambuco, também usa um aterro controlado para depositar lixo. Nesses locais, o lixo é coberto com solo. O presidente do TCE, Marcos Loreto, ressaltou que as contas serão julgadas e que em caso de irregularidades, o gestor pode se tornar inelegível outros 79 municípios utilizam aterros sanitários, com solo impermeável, tratamento do chorume e controle de gases.

Aterros no Estado

Pernambuco conta com 17 aterros sanitários licenciados: cinco deles são privados e outros 12, públicos. De acordo com o relatório do TCE, o Plano Estadual de Resíduos Sólidos afirma que são necessários 54 aterros sanitários para atender toda a demanda da população.

print