Foto: Divulgação

Acompanhar os estudos dos filhos não é uma tarefa fácil. Ainda mais com pais e mães com longas jornadas de trabalho. É aí que organização, disciplina e determinação podem fazer a diferença nos resultados. A neuropsicopedagoga Andréa França, especialista em Psicanálise aplicada à educação e à saúde, alerta para os benefícios do acompanhamento familiar na formação de cidadãos conscientes. “Quando os pais ou responsáveis se mostram inseridos na dinâmica escolar, além de acompanhar o crescimento educacional, eles diminuem as chances dos alunos apresentarem problemas comportamentais”.

A especialista defende ainda a importância de cada estudante ser tratado pela escola e pela família de maneira individualizada para que tenha suas necessidades educacionais supridas de forma específica. Caio Rafael, de 11 anos, estudante do sexto ano do ensino fundamental do Colégio GGE, de Caruaru, acabou de receber um plano de estudo individual preparado pela equipe pedagógica do Colégio. Pela planilha, ele sabe que terá que estudar um pouco mais Matemática para melhorar o desempenho e seus pais também tem acesso a essa informação privilegiada. Ele também tem acesso, através do portal do aluno, aos vídeos dos professores resolvendo as questões que errou, a fim de esclarecer todas as dúvidas e poderá, ainda, consultar, de casa, o material digital para revisar as matérias.

A mãe do menino, a enfermeira Janekalle Barbosa, ficou encantada quando viu pelo aplicativo todas essas novidades. “Foi uma surpresa e tanto saber que, num universo de 800 alunos da escola em Caruaru, meu filho é único. O GGE pensou nele, viu as dificuldades dele e preparou um plano de estudos personalizado para que ele possa focar no que precisa melhorar. Agora, seremos mais assertivos no estudo e estou bem mais tranquila, pois sei que ele está muito bem assistido pela escola e contará também com o nosso suporte para conquistar seus sonhos”, afirmou.

A elaboração do plano de estudo só foi possível graças ao Exame de Verificação de Aprendizagem (EVA) desenvolvido pelo GGE e aplicado a cada bimestre para os alunos de todas as turmas do Ensino Fundamental 2 e do Ensino Médio. “Essa prova foi desenvolvida para garantir que as notas de nossos alunos sejam, de fato, um reflexo real do conhecimento adquirido e, claro, apontar quais assuntos eles precisam estudar mais”, afirma Tayguara Veloso, gestor pedagógico do GGE.

As questões do EVA são preparadas por uma banca de professores do Sistema GGE de Ensino baseada nos exercícios do material didático. Após cada exame, a equipe pedagógica pode verificar a aprendizagem dos alunos e ter acesso aos relatórios consolidados de desempenho por turma, série, unidade de ensino e disciplina. Tudo isso favorece um trabalho preventivo, diagnosticando, com antecedência, as disciplinas e respectivos conteúdos que os estudantes precisam estudar mais.

“Essa ferramenta de avaliação possibilita que os professores de cada disciplina tenham um mapeamento da aprendizagem de cada turma e de cada aluno, enxergando as reais necessidades e o que precisa ser mais trabalhado para melhorar o desempenho nos próximos exames”, destaca Herbetes de Hollanda, um dos sócios-diretores do Colégio GGE, responsável pela criação do EVA.

print