Arquivo/TV Jornal

O ex-vereador e ex-presidente da câmara de vereadores de Belo Jardim José Lopes denunciou no programa Janela Livre desta terça-feira (07/04) uma dívida no valor de R$3 milhões e 400 mil em imposto de renda retido. Ou seja, que foi descontado dos salários dos servidores municipais pela prefeitura, mas não repassados para a Receita Federal.  

Além disso, a administração municipal também possui contas no valor de R$1 milhão e 800 mil em empréstimos consignados, que foram descontados do pagamento de aposentados e pensionistas e não foram repassados para as instituições financeiras e R$541 mil em um plano de saúde privado pelo mesmo motivo em 2018.  

“É estranho, porque a prefeitura tem um montante de R$35 milhões da previdência aplicados em fundos de investimentos”, completa José Lopes. Os fundos de investimentos estão previstos em lei e todo o rendimento obtido volta para o fundo de previdência social do município.  

No entanto, o ex-vereador solicita que a câmara solicite um pedido de informação sobre esses investimentos, principalmente por causa das dívidas referente aos aposentados e pensionistas municipais, que deveriam estar sendo pagos com esse dinheiro.  

José Lopes ainda falou sobre uma dívida flutuante que pertence a Autarquia Educacional de Belo Jardim (AEB), que pulou de R$246 mil na gestão do ex-prefeito cassado João Mendonça, para R$2 milhões e 250 mil na atual gestão. De acordo com ele, uma lei para que a instituição recebesse o repasse de um apoio financeiro de R$150 mil por mês foi aprovada pela câmara dos vereadores, porém isso não vendo sendo feito.  

print