Foto: Reprodução / Internet

O dia 31 de maio é marcado pelas campanhas de conscientização contra o uso do tabaco. A data foi estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o apoio dos países filiados. O objetivo é alertar a população sobre os riscos à saúde ligados ao consumo do tabaco e seus derivados e promover a redução do seu consumo.

Além de ser o causador de várias doenças relacionadas ao aparelho respiratório, o tabagismo também é um grande vilão da saúde cardiovascular. De acordo com a médica cardiologista do Hospital Santa Efigênia, Gabriela Marques, a nicotina pode aumentar a pressão arterial e a frequência cardíaca em até 30%. Os fumantes são, em média, de três a cinco vezes mais vulneráveis às doenças cardíacas que os não fumantes, sendo a angina do peito e o infarto do miocárdio as mais comuns.

O tabagismo associado a outras condições como hipertensão, diabetes, obesidade, aumenta ainda mais o risco de doença arterial coronariana. Os componentes do cigarro lesam diretamente o endotélio, que é uma camada de revestimento interno dos vasos, facilitando o acúmulo de gordura e a formação de placas ateroscleróticas, que podem culminar em um infarto. As substâncias interferem na contração e relaxamento dos vasos, comprometendo também a circulação sanguínea.

O hábito de fumar em qualquer quantidade é danoso para o coração e estudos sugerem que fumar pode até anular os benefícios de outros esforços para reduzir risco cardiovascular, como tomar aspirina ou medicamento para baixar o colesterol. Tabagismo é uma doença e pode ter graves consequências”, alerta a especialista.

print