Sistema Adutor do Moxotó, localizado em Sertânia, no Sertão de Pernambuco. Divulgação/Compesa

A Adutora do Agreste, que faz parte do eixo leste que liga a transposição do Rio São Francisco para o estado de Pernambuco é motivo de debates e polêmica. O atual governador do Estado, Paulo Câmara (PSB), já afirmou por diversas vezes que os recursos para a conclusão da obra foram destinados pela sua gestão, e que o ex-presidente Michel Temer (MDB) havia paralisado a liberação de recursos para o ramal por parte do Ministério da Integração Nacional.

Porém, em pouco mais de dois anos e meio de governo, Michel Temer liberou mais recursos para a Adutora do Agreste do que os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, ambos do PT, segundo documento de repasses do Ministério. Ao todo, Temer destinou o montante de R$ 355.622.700 para a conclusão da Adutora do Agreste em Pernambuco, montante que compreende R$ 77.294.046 a mais do que os governos anteriores haviam liberado.

Arte: BJ1

Na planilha de liberação de recursos para a obra, que o BJ1 teve acesso com exclusividade, aparece que entre os anos de 2008 e 2012, durante os governos Lula e Dilma, a implantação da Adutora do Agreste não recebeu qualquer quantia do governo federal. A primeira liberação, no valor de R$ 100 milhões, foi realizada apenas em 2013, e a segunda no ano seguinte, no valor de R$ 178.328.654. Em 2015, novamente, nenhum recurso foi destinado. Isto é, R$ 278.328.654 foi o montante enviando para a Adutora durante seis anos dos governos do PT, conforme a planilha do Ministério da Integração Nacional.

Em 2016, após o afastamento provisório de Dilma no dia 12 de maio depois que o Senado Federal acatou o pedido de impeachment, no mês seguinte, já sob o comando de Michel Temer, a obra voltou a receber recursos, que ao final do ano contabilizou R$ 109.328.654. Já em 2017, Temer destinou mais R$ 178.049.277. No ano passado, o ex-presidente destinou R$ 68.244.769 para a conclusão da obra, totalizando assim um aporte de R$ 355.622.700 em recursos durante os dois anos e meio do governo Temer, segundo a planilha.

Dados os valores apresentados pela planilha de liberação de verbas do Ministério da Integração Nacional, é seguro afirmar que Adutora do Agreste é realidade para milhares de pernambucanos e pernambucanos graças ao governo federal, com uma contrapartida do governo estadual.

print