EBC

Do dia 1° ao dia 31 de janeiro deste ano, o município de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, registrou 33 casos de violência doméstica e familiar e um caso de estupro contra mulheres. Os dados são da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE). Os números de fevereiro ainda não foram divulgados pelo órgão.

O ano anterior foi o que mais registrou casos de violência doméstica e familiar contra mulheres, desde que a SDS começou a divulgar os dados em 2012, com 291 casos registrados. 94 a mais que em 2017, que contabilizou 197.

Além do alarmante número de ocorrências por violência doméstica e familiar, Belo Jardim também registrou 19 casos de estupro contra a mulher em 2018. Apesar da redução de nove ocorrências em relação a 2017, que contabilizou 28, os dados são preocupantes.

No caso de maior repercussão, duas jovens de 21 e 23 anos foram vítimas de estupro por um homem de 34 anos dentro de um estabelecimento comercial no centro de Belo Jardim. O homem utilizou uma faca para render e ameaçar as vítimas. Ele foi preso meses depois pela Polícia Civil do município.

Assassinato de mulheres em Belo Jardim em 2018

No ano passado duas mulheres foram assassinadas no município. O primeiro caso foi registrado em 23 de abril, quando uma idosa de 61 anos foi morta a tiros durante a madrugada. De acordo com a Polícia Militar, quatro homens invadiram a residência a procura do filho da vítima, ao não encontrá-lo, os suspeitos decidiram executar a senhora.

O outro caso ocorreu no dia 16 de novembro, no bairro da Cohab II. Josiane Ferreira de Souza, 22 anos, estava em frente de casa, na rua João Salvador, quando foi morta pelo ex-companheiro. A filha da vítima, de apenas 11 meses, levou um tiro de raspão no pé.

Feminicídios em Pernambuco

Três em cada dez assassinatos de mulheres registrados em Pernambuco, em 2018, foram motivados por questões de gênero. O número total de homicídios de mulheres registrados pela Secretaria de Defesa Social (SDS) é de 228 e, desses, 75 foram considerados feminicídios, o que equivale a 32,9% dos casos.

Os feminicídios são os casos de mulheres mortas em crimes de ódio motivados pela condição de gênero, como aqueles em que as vítimas são assassinadas pelo companheiro.

print