Barragem do Bitury com 16% da sua capacidade. Foto: Divulgação

As recentes chuvas no município de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, fazem com que a população volte a ter esperança de um ano melhor. Há mais de um ano vivendo em racionamento, os belo-jardinenses não veem a hora do principal reservatório do município, a barragem do Bitury voltar a sangrar.

Apesar das chuvas das últimas semanas, o manancial acumulou apenas 16% da sua capacidade, que é de 17,7 milhões de metros cúbicos, de acordo com a Companhia Pernambucana de Abastecimento (Compesa). Como o reservatório ainda continua com o nível muito abaixo da sua capacidade, o calendário de abastecimento não sofrerá alterações, por enquanto.

É importante que a população se conscientize e continue economizando água, com ações simples, como, por exemplo, tomar banhos mais curtos, fechar o chuveiro sempre que possível, manter as torneiras sempre bem fechadas, ter cuidado com os vazamentos, lavar a roupa com menos frequência e mais cuidado, utilizar água não aproveitável na descarga e evitar lavar calçadas e automóveis.

Barragem de Tabocas

Localizada no distrito de Serra do Vento, o terceiro principal reservatório do município, segue com 100% de sua capacidade máxima de acumulação. O manancial tem capacidade para acumular 1,2 milhões de metros cúbicos. Através da adutora Tabocas/Piaca, é despejado por dia na Central de Tratamento da Compesa, cerca de 17L por segundo, que ajuda no abastecimento da população.

Barragem Pedro Moura Júnior

A barragem do Ipojuca, como é conhecida popularmente, acumulou apenas 5% da sua capacidade, que é de 35 milhões de metros cúbicos. A sujeira e o mato dentro do reservatório fazem com que a água seja impropria para o consumo humano.

print